sábado, 31 de outubro de 2015

REGULARIZAÇÃO OU ENROLAÇÃO




Dei de cara com o Caixa Preta,pensei até que o cabra estava de greve,pois trazia nas mãos uma faixa que dizia:”O Guará Exige a Regularização do Parque”.
Essa exigência vem de longa data,temos uma área ambiental emblemática,talvez uma das mais importantes de Brasília , onde estão localizados o Parque Ezechias Heringer e a REBIO – Reserva Biológica que abriga uma infinidade enorme de nascentes,plantas,animais, aves...enfim um verdadeiro santuário ecológico que está aos poucos sendo degradado com ocupações e ataques ao meio ambiente caracterizando um dos maiores crimes ambientais,tudo isso nas “barbas” do governo que continua na sua inércia em fazer a rápida regularização.
A nova poligonal está pronta para ser votada mas não se sabe porque está empacada na CLDF,tem muita gente querendo tirar uma casquinha,sempre com o propósito eleitoreiro,todos querendo se cacifar...nada de prático realmente para a população.
Durante anos essa novela vem se arrastando , nada de um capitulo final e feliz,sempre acham um jeito de explorar politicamente que protele uma coisa que o Guará espera com ansiedade,que é a rápida regularização.
O que nós moradores pedimos é a rápida devolução do Parque do Guará aos seus legítimos donos,que já estão cansados de tanta enrolação e lero-lero.
Respeitem o Guará!!! Será que é pedir muito ?

sexta-feira, 30 de outubro de 2015

LEIA COM ATENÇÃO




Tem distrital querendo fazer carreira com isso e dana o pau a fazer Audiências Públicas,dizendo que vai resolver a vida dos ocupantes ilegais do Parque,isso é pura balela,estão jogando pra platéia.
O Projeto de Lei Complementar nº 24 altera a poligonal do Parque Ecológico Ezechias Heringer, no Guará, criado pela Lei nº 1.826, de 13 de janeiro de 1998. A proposta consiste em vender uma área degradada e incorporar outra ao terreno do parque. Com a nova demarcação, estima-se que a venda arrecade em torno de R$ 300 milhões para os cofres públicos.

quinta-feira, 29 de outubro de 2015

TARTARUGA MANCA

Sempre gozador o Caixa Preta tirava um sarro e lembrava que o Guará não tem terminal rodoviário,pois os dois, tanto o do Guará I quanto o do Guará II estão desativados para reforma faz um bom tempo.
Estando quase para comemorar o aniversário de desativação,os dois estão naquele passo de tartaruga manca com artrose e o serviço não é concluído.
Me parece que está virando moda começar obras e não concluir( vide o “Calçadão da Vergonha”),deixando a população a ver navios,quando deveria ver ônibus.
Parecendo não ter um planejamento,não vou dizer planejamento inteligente para não ofender os inteligentes,pois parece ser muito difícil planejar e pensar ao mesmo tempo,isso é muito perigoso,podendo inclusive fazer com que as obras sejam concluídas rapidamente e Deus nos livre, o que é pior com barateamento de custos.
Coisas que podem mudar as relações entre população e governo,como a celeridade em obras que muitas vezes se arrastam , sempre esbarram nessa morosidade irritante.
O velho Caixa fica irritado com a demora,mas o povo que é o dono do produto final,que são os terminais prontos para uso,tem que reclamar,botar a boca no trombone pedindo a imediata conclusão dessas obras.



MONSTRENGOS

Encontrei o Caixa Preta pra lá de indignado, depois de saber o motivo acabei dando razão ao “Maluco Beleza”,confesso que fiquei muito chateado.
O motivo parece que está se tornando banal de tanta reclamação,mas parece que está sendo muito comodo manter essa cara de paisagem como se a coisa não fosse grave.
Virou moda aqui no Guará afrontar o plano urbanístico , sem a miníma preocupação com as consequências alguns gaiatos ainda deitam e rolam.
Sem ligar para nada apenas constroem,parece que a Administração não se deu conta que estão construindo uns “predinhos” safados nas pontas das quadras residenciais onde não é permitido tal tipo de construção.
O que o velho Caixa estranha é a localização, um na QE-28 e o outro ali na QE-13,bem nas “barbas” da Administração.
Digo nas “barbas” pois esse da QE-13 fica localizado bem em frente a Administração,que parece ainda não ter notado a construção do monstrengo a toque de caixa,ou seja na encolha,pois depois de construído já era,bem no estilo que se lasque a cidade.
Daqui a pouco teremos uma cidade toda cheia dessas aberrações,isso sem contar com os famigerados puxadinhos que acabam com as calçadas da cidade e obrigam os transeuntes a passarem pelo meio da rua.Assim ninguém aguenta!!



quarta-feira, 28 de outubro de 2015

MISS TURADA

MISS TURADA
De vez em quando o Caixa Preta me conta uma história engraçada e muitas vezes esqueço de contar pra vocês ,mas essa apesar de ser um pouco politicamente incorreta me fez rir , então resolvi contar.
O Caixa disse que teve um vizinho,que tinha um filho chamado Valdisney(era pra ser Walt Disney) mas o pai tinha bebido “umas” e o escrivão era meio “analfa”,do jeito que ouviu fez o registro,deu no que deu.
Com cinco anos,o moleque disse que queria ser cabeleireiro,o pai numa meiguice de dar dó quase arranca a cabeça do coitado com um safanão.
A saga continuava para Valdisney,com oito anos queria ser decorador,o pai quase expulsa o pimpolho de casa.
Aos dez queria ser bailarino,o pai quase o fez engolir a sapatilha que a mãe tinha comprado.
Já aos doze anos,Valdisney queria ser chef de cozinha,levou uma surra com uma colher de pau para deixar de frescura, ficou todo roxo e quase vai a loucura com a cor pois caiu muito bem no “rapazola”.
O tempo passou,hoje Valdisney tem vinte e quatro anos,só anda rebolando e não sabe fazer porra nenhuma ...vai terminar sendo “Miss Guará”.

terça-feira, 27 de outubro de 2015

CAFÉ DO CHEFE

Outro dia encontrei com o Caixa Preta mas senti que não ia rolar aquela “cerva” super gelada,nós dois estávamos mais duros que bunda de estátua.
Pensamos em mudar um pouco e dar uma chegada num boteco que tinha sido inaugurado ali na periferia do Guará, o “Mil e Uma Moscas”,não darei o endereço para não fazer merchandising.
O velho Caixa estava doido para contar uma história maluca,fiquei curioso,mas logo ele começou a me contar essa:”Um avião sobrevoando a densa selva africana,cheio de passageiros granfinos entre eles uma loirinha,bem carnudinha,mas nem por isso menos enxuta...dava um caldo como diz a galera.
De repente um barulho estranho,muita fumaça,todos gritando...mas não teve jeito,o avião caiu e no silêncio que se seguiu podia-se sentir que não escapou ninguém...Minto,a loirinha estava viva e intacta.
Quando os canibais chegaram atrás de comida só encontraram ela,chorando assustada com as roupas em farrapos,resolveram levá-la para a tribo,pois era carne fina e precisava passar pelo crivo do cozinheiro-chefe para uma avaliação, entregaram a loirinha lá na cozinha da tribo.
Um ajudante de cozinheiro queria prepará-la para o jantar do chefe,mas o cozinheiro-chefe examinou direitinho e disse: - Nada de cozinhar esse filé para o jantar do chefe,deixa pro café da manhã porque o chefe gosta de tomar café na cama”.
Canibal é???



VIDAS "LOKAS"

Parece que chegou ao Guará uma moda abominável que está acontecendo lá pelo Rio de Janeiro,o tal de arrastão.
Tudo indica que essa prática nefasta foi incorporada por alguns imbecílóides daqui , estão tocando terror nos becos e descampados das quadras,tendo como vítimas preferencialmente jovens e senhoras desacompanhadas,pois os babacas não têm coragem de abordar os marmanjos.
Segundo informações esses grupelhos na maioria das vezes formados por alunos da rede pública ,com alguns “malas” infiltrados.
Qualquer pessoa que identificar um desocupado desses rondando ou em grupos querendo “aprontar”,liguem imediatamente para o 4º Batalhão.
Com a vida ficando cada dia mais difícil essa molecada em vez de estudar,procurar desenvolver algum tipo de aptidão,resolve ir contra a lei pois acham bonito serem vidas “lokas” esquecendo que pais não são eternos,um dia serão adultos. Mas será que poderão ser aproveitados e inseridos na sociedade da qual hoje eles debocham?
Não esquecendo que muitos terão a vida encurtada por drogas e balas,farão parte apenas de uma triste estatística que é a do crime ou da miséria nossa de cada dia.



CHÃO MOLHADO

O Caixa Preta tinha uma história que ele disse ter acontecido lá na QE-40,apesar de trágica é engraçada,principalmente contada de forma tão descontraída pelo velho Caixa.
Houve um crime inacreditável ,não o crime em si mas a forma e o motivo,uma história cheia de humor negro.
A policia foi chamada e imediatamente seis viaturas chegaram ao local,o pessoal vinha armado até os dentes para prender o autor da tragédia que ainda se encontrava no local do crime.
No batalhão o sargento responsável pela guarnição,conversava com os homens pelo rádio,pedindo detalhes do caso.
-Passem o relatório do ocorrido...preciso de detalhes para preencher o BO...falem que estou na escuta.
-Sargento,chegamos ao local do crime,uma cena dantesca,uma mulher matou o marido...foram 35 facadas,dois tiros,isso depois de asfixiar,ainda decapitou a pobre vítima,por último não satisfeita ainda tacou fogo no pobre indivíduo.
-Vixe Maria!!!Qual o motivo de tão violento crime ?
-O coitado pisou no chão com o sapato sujo, onde ela estava passando o pano...
-Já capturaram a mulher ?
-Ainda não sargento,a tropa não quis arriscar...estamos esperando o piso secar.
Vixe!!!


TRIBOS NA RUA

O calor era intenso,mas o calor humano e a vontade de unir,se divertir e aproveitar um autêntico espaço popular,onde todas as “Tribos” estavam representadas foi o mote principal desse encontro salutar da população do Guará.
São eventos simples como esses,digo simples mas de uma grandeza imensurável,pois trata-se de uma coisa que cuida do amor que todos cultuam por sua cidade,fortalecendo o espírito de comunidade.
Então graças a esses abnegados guaraenses que cada dia dão uma demonstração maior de amor pela cidade onde vivem,fazendo aflorar aquele orgulho, em todos por morar numa cidade tão acolhedora quanto o nosso querido Guará.
Trazer o povo para a rua é uma tarefa árdua,mas gratificante quando vê-se o resultado sendo elogiado e copiado por outras satélites,que talvez procurem pela mesma motivação que moveu os atores nesse show de civilidade,fraternidade e boa vizinhança.
Aqui é onde os atores principais desse magnifico espetáculo ,serão sempre os moradores e verdadeiros donos dessa pacata cidade.



sexta-feira, 23 de outubro de 2015

CASA DA JOANA E NÃO DA MÃE JOANA

Depois da tempestade de vento que quase tira o Guará do mapa, eu e o Caixa Preta resolvemos da uma volta por um lugar diferente,atravessamos a fronteira, a EPTG, caímos direto na famosa alameda dos quiosques,ali no Lúcio Costa, cada um maior que o outro,ocupando o território tranquilamente .De acordo com o velho Caixa, o Lúcio Costa ainda não acabou porque a irmã da única leitora da minha coluna por aquelas bandas não deixa,luta com unhas e dentes para defender os interesses da comunidade que ela adora.
Mesmo assim na maior cara de pau ,o pessoal vai ocupando os espaços públicos que ainda estão vazios da pior maneira possível.
Basta dar uma olhada melhor e logo ali na entrada além dos quiosques,deparamos com uma bela invasão de terra pública proporcionada pelos condomínios da região.
O Caixa ficou abismado com a coisa por lá,o pessoal criou até entradas personalizadas de chão batido,algumas encascalhadas,muitas delas até clube particular já montaram com churrasqueiras para nos finais de semana curtirem aquele chão invadido...um verdadeiro paraíso de irregularidades.
É preciso que o pessoal da Agefis e outros órgão fiscalizadores ponham fim naquela farra que está acontecendo por aquelas bandas.
Está na hora do pessoal passar dando uma “guaribada” nisso.


 

ARREBITA,ARREBITA !

O Caixa Preta me contou que de vez em quando gosta de conversar com o ”Portuga” e ouvir algumas histórias contadas sempre recheadas de uma pitada de ufanismo,onde sempre o cabra gosta de elogiar os feitos além mar,pois depois que descobriram o Brasil sem querer,a única coisa que trouxeram de bom foram as padarias espalhadas pelo território brasileiro e Roberto Leal que inclusive já foi devolvido.
Uma das histórias que o “Portuga” gosta de contar é a da máquina de espremer laranjas adquirida por ele para poupar tempo e produzir um suco de qualidade.
Diz ele que os cientistas portugueses passaram anos para chegar ao produto final ou seja a tal máquina de espremer laranjas, pois os lusos quase desistiram durante os testes, a máquina experimental só espremia as sementes da laranja e jogava a laranja fora.
A portuguesada espremia 500 Kgs de laranja(sementes) para fazer um copo de suco,que era ruim pra cacete foi quando um baiano empregado da empresa deu a ideia de fazer o inverso,regulou a máquina ao contrário e conseguiu o resultado final. Os portugueses pensaram até em mandar esculpir uma estátua para o baiano,mas desistiram pois ninguém ia acreditar que um empregado e ainda por cima sendo estrangeiro pudesse ter uma ideia milagrosa , simplesmente batizaram a máquina com o pomposo nome de “Espremedor”.
Isso foi uma verdadeira vitória cientifica lusitana,pois até agora a maior invenção portuguesa tinha sido o limpador de para-brisas ,aperfeiçoado pelos americanos que o colocaram pelo lado de fora.

Arrebita,arrebita!!!


FANIQUITOS

O Caixa Preta ,a população do Guará e enfim todos os cidadãos de bem não cansam de elogiar o pessoal da PMDF que faz o patrulhamento de bicicletas aqui na cidade,os moradores já adotaram os bravos rapazes e moças responsáveis pelo patrulhamento sobre duas rodas e não cansam de elogiar a implantação da “Operação Gurgel” que leva o nome desse humilde escriba , para o desgosto e inveja de muitos que dão verdadeiros “faniquitos” em algumas reuniões,dando como sempre um show de imbecilidade e incompetência.
Segundo o velho Caixa que considero um sábio em matéria de mandar tijoladas,bem no estilo nordestino:”Quem refresca bunda de porco é lama!”
Mas logo o assunto mudou e o velho Caixa lembrou que no próximo domingo teremos o já consagrado Rota 156,que já faz parte do nosso calendário de coisas boas que teremos no Guará.

A galera está ansiosa,com chuva ou o sol de rachar vamos todos para curtir a nossa rua de lazer,rever os amigos,bater um papo descontraído,tomar uma cerveja bem gelada,ou simplesmente sentar no meio fio e ver a alegria reinar.


quinta-feira, 22 de outubro de 2015

CAPITAL MUNDIAL DO QUIOSQUE

Essa semana um jornal de grande circulação trouxe estampado um bem humorado título de “Brasília,o Império dos Quiosques”,fiquei até orgulhoso pois o Plano Piloto com inveja resolveu copiar o Guará e implantou também o nosso bem sucedido programa: “Meu Quiosque,Minha vida” cujo sucesso por aqui é inegável basta ver que temos um quiosque em cada palmo do nosso pequeno território.
Muita gente por aqui já está pensando até em morar num quiosque,pois espaço não falta,tem uns monstrengos bem grandinhos dá gosto ver a farra.
Outro dia assistindo um filme de terror,pensei até em escrever um roteiro e mandar para Hollywood pra ser transformado em filme,bolei alguns títulos que me pareceram interessantes:”Quioscailândia:O Rango Fatal”, “ A Invasão dos Quiosques Enfurecidos”,”Tendinha,O Tira Gosto Fatal” e por aí vai.
Mostrei a ideia para o Caixa Preta ele riu,mas em seguida me repreendeu severamente dizendo que se o filme fosse um sucesso e ganhasse um Oscar,corríamos o risco de ter o Guará tombado pelo Iphan como a “Capital Mundial do Quiosque”.
Poderíamos até ter o dissabor de Brasília declarar guerra ao Guará para não perder o título de “Império dos Quiosques” tão arduamente conquistado com o descaso de governantes e administradores que por lá passaram,não seria uma RA qualquer que tomaria esse pomposo título.
Sem querer chorei !!!



OPERAÇÃO GURGEL É UM SUCESSO

Desde o início do policiamento ciclístico no Guará — no fim de janeiro deste ano — até o mês passado, 11 militares que fazem patrulhamento com bicicleta na região administrativa registraram 48 crimes. Na avaliação da Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF), esses delitos puderam ser identificados graças à atuação mais ostensiva desses policiais.
Com 24 prisões, o uso ou porte de drogas foi a ocorrência com maior número de registros. Em seguida, aparecem seis casos de ameaça à vida e integridade física e quatro lesões corporais, além de outros quatro relatos de agressões a mulheres enquadrados na Lei Maria da Penha. Completam a lista mais quatro furtos a interior de veículos, três roubos a automóveis, dois assaltos a residências e um caso de tráfico de drogas.
"Quanto mais abordagens forem feitas, mais casos serão constatados. Não quer dizer necessariamente que a região está mais perigosa, mas, sim, que houve esse incremento no modo de atuar", explica o comandante do 4º Batalhão de Polícia Militar, tenente-coronel André Luiz Pinheiro Borges. Segundo ele, a iniciativa é pioneira no DF e já existem estudos para levá-la a outras regiões.
Diariamente, os policiais percorrem cerca de 30 quilômetros em busca de atitudes suspeitas, com prioridade para áreas de grande circulação de pessoas e veículos. De acordo com a PM, o trabalho da patrulha com bicicleta permite o acesso a espaços onde os carros não chegam com facilidade, como o Parque Ezechias Heringer, entrequadras e vias sem pavimentação.
O policiamento ciclístico é feito do Setor de Indústria e Abastecimento (SIA) até a saída do Guará II, na via que leva à Estrada Parque Guará (EPGU). Nesse percurso, alguns trechos recebem atenção especial: a QI 7, devido à concentração de agências bancárias; a QE 40, em virtude do alto registro de crimes; e as escolas públicas e particulares, para preservar a entrada e a saída dos estudantes.


quarta-feira, 21 de outubro de 2015

TESTE DE FIDELIDADE

O Caixa Preta estava meio sumido, acho que era por causa do calor que estava de lascar e ele preferia ficar na frente do computador com o ventilador ligado, dando uma espiada no Face pra ver se encontrava alguma novidade.



BURACOS E LIXÕES

Tem uns remendos de asfalto feitos ali na QI-31 mas precisamente na área comercial, parece que a equipe que tapou a buraqueira é meio cega,pelo jeito ficou bem pior que antes. Os comerciantes do local já estão querendo fazer uma campanha pedindo os buracos de volta.
Se não é pra fazer uma coisa bem feita,então não faça,pois é de se estranhar o capricho daquela rua interna lá na QE-15,o velho Caixa está achando que a “República dos Chegados” está voltando e se abancando lentamente.
Outra coisa que tem chamado a atenção não só nossa, mas dos moradores das cercanias é aquele famigerado lixão por trás do quartel do 4º Batalhão da PMDF.
Agora volta e meia estão tocando fogo no lixo,com isso a junção do tempo seco,umidade do ar em níveis críticos os moradores da região principalmente da QE-36,estão a amargar além do calor aquela fumaça que parece fazer parte da paisagem.

Bom lembrar que o local está dentro da nova poligonal do Parque do Guará,uma área de preservação ambiental que está sendo degradada.


QUIOSCAIADA


Já estava com saudades do “Porcão”, senti-me como o “Filho Pródigo” voltando ao lar,as moscas, velhas conhecidas nos saudaram fazendo um voo rasante sobre nossas cabeças,fiquei com os olhos marejados,tive vontade de vomitar mas resisti,fingi que não via toda aquela sujeira à minha volta.
O Caixa Preta discutia com o Galak,não sabia o motivo mas ouvia os gritos cheios de frases amorosas de ambos,onde a mãe era o personagem principal e a mais lembrada.
Sentamos e pedimos logo a famosa “Canela de Pedreiro” pois a sede com esse calor não estava perdoando ninguém,bastava ver o suor que escorria.

Sempre com uma história nova para contar o velho Caixa mostrava-se preocupado, meio chateado, dessa vez eu não diria que ele estava chateado mas sim “puto” com o que ele vinha notando pela cidade, com a proliferação dos quiosques por toda parte e que parece de um momento para outro ganhou força. A quioscaiada deita e rola,muitos sendo construídos na maior encolha ocupando áreas nobres,um maior que o outro...nem disfarçam,chegam e se abancam,pois sem uma fiscalização que bote fim a essa pouca vergonha,o melhor é invadir e pagar pra ver,esse é o lema da tchurma.




ZORRA TOTAL

 O Caixa Preta estava muito irritado com o nosso querido Guará, parece que tudo está uma “zorra” pra ninguém botar defeito, os nervos do cabra estão à flor da pele, não está dando mais para aguentar tanta esculhambação na cidade, virou uma verdadeira casa de Mãe Joana, os casos só se avolumam, com isso a paciência do velho Caixa vai pro espaço.
Segundo o Guerrilheiro do Cerrado, aquela turma do “João Sem Braço” cada dia aumenta mais, tudo na base do “se colar, colou”,um verdadeiro festival de irregularidades...para se ter uma ideia até caixão de defunto encontraram jogado no meio da rua, ali no Polo de Modas .
Segundo os fofoqueiros de plantão, quem talvez ocupasse o caixão era a esperança daquela “tchurma” que estava doida para descolar uma “boquinha”.
Mas o velho Caixa não deixa por menos, senta o bambu sem dó nem piedade, para completar a indignação do cabra, um sem noção está ocupando uma parte de um estacionamento ao lado de um templo evangélico, ali na QE-32 , para isso estacionou uma Kombi, armou uma tenda parafusada no asfalto e tranquilamente está funcionando, com a água escorrendo ali na orla, uma gracinha .
Me parece que o Guará ainda vai continuar ao Deus dará, com esses políticos interesseiros fazendo juras de amor...é tanta falsidade que dá vontade de vomitar.