sexta-feira, 16 de setembro de 2016

NO OLHO DA RUA

Como sempre as nossas conversas sempre terminam naquela cerveja gelada lá no “Porcão”. Sentindo aquela gostosa catinga de gordura velha filtrada na palha de aço, aquele cachorro me olhando com más intenções babando pelos cantos da boca, doido pra me tascar uma bela mordida. Pensei com meus botões vou comprar “chumbinho”...


O Galak com cara de poucos amigos nos recebe com aquela doçura de sempre e entre um palavrão e outro nos traz o cardápio.
Al-Qaeda no fogão preparava a nossa gororoba de cada dia, senti um frio no estomago, confesso que já estava arrependido, o dia nada prometia de bom, mas estava querendo ouvir alguma história do Caixa Preta, que sempre tem uma boa pra contar.
Desempregado, sim,desempregado essa era a situação do velho Caixa. Vi logo que teria de pagar a conta, rezei para ele não querer encher a cara para não ir a bancarrota de uma vez, pois a situação não está muito boa.
Resolveu então contar como tinha perdido o emprego. Diz ele que notou que o seu contracheque estava meio fraco por causa de um desconto indevido, segundo ele, foi tomar satisfação com o chefe e já chegou pagando pra ver! Jogou o dinheiro em cima da mesa e gritou: - Que história é essa de descontar quinhentos reais no meu salário ?
O chefe calmamente lhe respondeu: - Mês passado mandei colocar quinhentos reais a mais e você não reclamou.
Na cara de pau ele respondeu: - Tudo bem, um erro eu até aceito, mas errar duas vezes é demais.

Foi jogado no olho da rua, agora faz parte da estatística de desempregados. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário