sábado, 27 de agosto de 2016

ATENTADOS

Parece que atentados contra o meio ambiente estão se tornando marca registrada do Guará, uma cidade cercada de verde mas com uma tradição muito forte pelo descaso com a natureza.

quarta-feira, 24 de agosto de 2016

DIETA DO CAIXA




Estava fugindo do Caixa Preta para não ouvir aquelas histórias cretinas que ele sempre me conta, querendo que eu acredite e não ria das maluquices.
De repente do nada surge o cabra! Se eu fosse doente do coração tinha empacotado na hora...fazer o que? Lá fomos nós parar no Porcão, o quiosque mais sujo da cidade. Nada de copo sujo, lá tudo é sujo, escorreguei na entrada, era a gordura acumulada por falta de uma boa coifa, quase desisto.

domingo, 21 de agosto de 2016

CULPA DA NOSSA CEGUEIRA

Essa história de “IMPEACHMENT” já está fedendo, principalmente depois que alguns menos esclarecidos estão propondo a volta dos militares,que algum idiota teima em defender pelas redes sociais e muitos estão aderindo por aqui,aí é que mora o perigo.
Todo mundo reclamando da falta de empregos,inflação,baixos salários,saúde ruim,educação idem,segurança nem se fala, um completo colapso.
Eu particularmente não morro de amores pelo governo,acho essa senhora incompetente,dominada por essa turma que apenas quer o poder pelo poder,pois a ideologia de mudanças existe apenas na cabeça e sonhos de alguns visionários partidários.
Vejo o povo revoltado e com razão,pois apresentaram um sonho de dias melhores que rapidamente foi tragado pela ganância de alguns,apresentando depois a conta do grande pesadelo que estamos agora iniciando.
Tivemos uma eleição geral a pouco tempo,tivemos a grande oportunidade de mudar,inclusive aqui no DF.
O que fizemos foi eleger um Congresso totalmente venal e contaminado com os vícios de muito tempo atrás,basta ver as opções que temos de mudanças,velhos escroques que a muito tomam conta do país e a nossa cegueira ou burrice não nos permite ver.
O país está parado e a tendência parece ser pior,tirar um governo,mesmo inoperante, para cair talvez num abismo onde tenhamos que amargar por muito tempo. Apenas para colocar essa turma que quer o poder,sem um projeto,pensando apenas na sobrevivência ou impunidade de cada um,apenas para se livrarem de processos ou esconderem os roubos ainda não investigados.
Portanto é bom esse pessoal que acha que tudo é farra e motivo para bagunçar, o correto seria fazer uma análise fria,ver se é isso que realmente queremos.
O que querem é apenas o apoio de vocês, para quando algo não sair como pensam jogar a culpa em nós que provocamos a situação.

Aí,talvez seja tarde demais.


 

sábado, 20 de agosto de 2016

SAIDÃO




Posso até aceitar,pois é lei e contra isso não se pode fazer muita coisa, mas não pacificamente o tal “Saidão”. A real intenção é realmente ressocialização?
O que acontece na maioria das vezes é a deturpação do tal beneficio, colocando no meio da população criminosos e vagabundos, que, se juntam aos muitos aqui fora das grades para praticar novos ou repetir antigos crimes, que muitas vezes já são planejados para atender as demandas de chefes de facções que povoam as cadeias do nosso país.
O Guará não está imune, o que se nota nos últimos tempos é o aumento exacerbado da violência, principalmente por conta de tal beneficio concedido à população carcerária, castigando e deixando em polvorosa a nossa pacata cidade, que além dos problemas diversos ainda tem que aguentar mais esse.
Por conta do tal “Saidão”, o Guará passou por poucas e boas nos últimos dias da semana passada. Os muitos cidadãos preocupados com uma série de casos, bombardearam as redes sociais relatando casos que deixaram a população com os cabelos em pé. A lista é grande, assaltos e sequestros relâmpagos (uma modalidade que parecia ter sido abandonada por esses vagabundos), parece voltou com força ferindo a tranquilidade do nosso querido Guará, fazendo da cidade foco de reportagens nos diversos noticiários locais.
Não estou aqui pregando uma retirada de leis em vigor, mas de uma séria revisão nesse arcaico código penal, onde muitas vezes quem paga a pena são os pobres contribuintes, que ficam a mercê dessa corja de vagabundos.
Se tem uma pena pra cumprir, que cumpram atrás das grades e não colocando em risco a nossa já não tão tranquila população.

sexta-feira, 19 de agosto de 2016

ARROGÂNCIA E INCOMPETÊNCIA




Parece até que vivemos numa terra de sonhos, onde os pesadelos nossos de cada dia não tem razão de ser, a não ser a nossa velha mania de reclamar de tudo, onde até a perfeição leva vaia, mas se olharmos com uma certa isenção veremos que mais uma vez tentam nos enganar.
Talvez a distribuição farta de miçangas, apitos e outras bugigangas, ponham uma venda sobre os nossos cegos olhos, pois na verdade gostamos de ser enganados como eram os nossos antepassados, tudo então vira festa.
Esse Governo, cada dia que passa, me surpreende. Não por atos que sejam dignos de elogios ou por trazer no bojo coisas que realmente tragam algo de bom para a tão sofrida população que a muito espera algo com que possa comemorar e não vem.
Falta dinheiro pra sustentar as principais despesas do Estado, mas não falta para jogar fora ou utilizar de forma estranha, como é o caso desse gasto com reformas de estádios para as Olimpíadas. Dizem que com parte de verba federal sendo complementada pelo GDF, um acinte aos que raciocinam, o gasto previsto é de 32 milhões! Sim 32 milhões que serão enterrados em obras que nada trarão de benefícios para quem ha muito espera uma mudança que nunca vem. Mas não é muito na visão desse governo, que até agora não mostrou a que veio, a não ser inoperância aliada à incompetência.
Batem cabeças e não encontram soluções para os mínimos problemas do DF, que já se acumulam ha muito tempo e cada dia, vemos que se depender dessa turma serão triplicados, pois falta-lhes competência e humildade em não reconhecê-la.

quinta-feira, 18 de agosto de 2016

DANÇANDO E SUANDO




A gente roda,roda e termina sempre dando uma passada lá no Porcão, o quiosque mais sujo e amado da cidade. Não tem jeito, apesar dos maus tratos, coices e xingamentos do Galak o garçom mais grosso que se tem noticia, o público é cativo.
O Caixa Preta aproveitou para contar uma boa enquanto a cerveja não chegava. Como sempre me preparei para ouvir mais uma do cabra, pelo jeito as risadas estavam garantidas.
Diz o velho Caixa que ele tinha um amigo, nordestino, grosso e não tinha hábitos muitos bons de higiene, o que dificultava o contato com o sexo oposto. Por mais feias que fossem, o cabra não tinha muita sorte. Pra piorar julho foi um mês de muito frio, de fazer pinguim usar cachecol.
Mesmo com toda dificuldade o bixim estava doido para dar uma chamegada nessas festas de São João que aconteciam aqui no Guará, não deixava ninguém sossegar, querendo dar uma dançadinha e matar saudade do interior da Paraíba.
O velho Caixa pra quebrar o galho, resolveu levar o cabra pra uma dessas festas que estavam acontecendo e explicou pra ele que ele tinha que se assear, tomar um banho, passar um perfume, vestir uma roupa limpa, pois o mulherio é muito exigente e quando vê que o cabra tá na secura, ficam mais exigentes ainda.
Saíram então rumo ao forró,lá chegando o cabra suava mais que tampa de chaleira, logo se engraçou com uma morena que lembrava o capeta chupando manga, por educação ela topou dançar com ele. Lá pelas tantas ela diz: - Puxa...Você sua, hein??? Ele todo animado respondeu: - Vou ser seu também...!!!

quarta-feira, 17 de agosto de 2016

ABRIGO DE VAGABUNDOS




Passei hoje por uma antiga casa de força da CEB abandonada aqui entre a QE-30 e QI-31,servindo apenas de abrigo a vagabundos e assemelhados ou quem sabe no futuro, um “quioscão” daqueles que brotam do nada por aqui.
Ali está virando uma pocilga, sem que ninguém se mexa para resolver o problema, pois o lixo, com dejetos podres já começa a incomodar os moradores. Além disso a escuridão que por ali reina durante a noite, torna o lugar um chamariz para coisas outras.
Custei a acreditar que tal coisa estivesse ali encravada, tornando o lugar arriscado, deixando o pessoal da redondeza exposto ao perigo de assaltos e assédio de usuários de drogas, além de usarem o imóvel como banheiro público e esconderijo.
Em volta o que se vê é um amontoado de serviços mal feitos, calçadas quebradas, além do asfalto do estacionamento incompleto, talvez esperando pelas eleições para servir como moeda de troca com os moradores, as arvores extremamente copadas facilitam e ajudam a tornar mais escuro o local.
Como é em frente a uma igreja, talvez os frequentadores da mesma estejam esperando que um milagre aconteça para dar uma guaribada no local, pois aí o número de peregrinos vai justificar a reforma.
Tudo aqui no Guará, principalmente obras públicas, são de difícil realização, ou seja, o povo continua esperando uma mudança de comportamento, chega de remendos e gambiarras.

segunda-feira, 15 de agosto de 2016

ABBP AGORA TEM ENDEREÇO




Pronto! Agora sim,temos um endereço o que nos faltava para nos colocar no mundo real,deixando o mundo virtual onde vivemos e atuamos com uma força incrível, graças a nossa união e camaradagem que sempre pautou a relação entre os componentes da ABBP,uma associação que nasceu de sonho visionário de uma grande figura,hoje uma grande realidade nas mãos de seguidores fiéis,que não deixam em momento nenhum em defender e lutar para que nossa união e os ideais da associação se concretizem,dentro de um espírito de camaradagem digno das grandes associações,o que nos irmana tornando-nos uma grande família, que sempre estará de braços abertos para receber quem vier e quiser manter com a sua força a tornar nossa querida ABBP mais conhecida e aguerrida.

domingo, 14 de agosto de 2016

REPLAY




Parece que já vi esse filme por aqui, estão ameaçando mais uma vez refazer algumas calçadas aqui no Guará, dizem que será algo em torno de 53 mil metros lineares de calçadas. É calçada a dar com o pau!
Vamos esperar que as mesmas papagaiadas anteriores não sejam repetidas, onde apenas alguns trechos, dedicados a alguns chegados ou em locais onde a população não as necessita. Talvez igual aquela que atravessa um terreno da Terracap, quem sabe para preservar o gramado onde o autor da ideia deve fazer o seu lanche.
Isso sem contar com os acessos feitos em calçadas que, de tão desgastadas, nem existiam mais, apenas pelo prazer de jogar dinheiro público fora. Afinal, a viúva é rica e os contribuintes estão mais preocupados com os resultados no futebol do que o destino que seu suado dinheiro está tomando. A tchurma nada de braçada!
Temos ainda o piso tátil que até hoje não se consegue imaginar a real utilidade,já que foi colocado em calçadas da orla onde o transito de pedestres não é tão intenso e o que é pior, sem continuidade e sobre calçadas totalmente destruídas. Cadê a acessibilidade?
Some-se a isso as praças internas que são o verdadeiro retrato do abandono, servindo apenas para juntar desocupados que passam o tempo enchendo a cara e os ratos que parecem verdadeiros javalis, revirando o lixo durante a noite.

quinta-feira, 11 de agosto de 2016

CHEIRO DE MORTE




Lá no Porcão,eu e meu amigo Caixa Preta bebíamos a nossa cerveja, e as moscas em volta pareciam fãs ensandecidas de algum cantor sertanejo ou jogador de futebol, estavam apenas esperando a gente tirar a tampa da panela para atacar.
Parece que a Al-Qaeda tinha caprichado. Vi algo boiando no meio da gordura, procurei desviar a atenção para não começar a vomitar a comida de ontem. O cachorro do Galak me olhava e lambia os beiços, pensei estou frito...relaxei e me preparei para ouvir a história que o velho Caixa começou a contar.
“Outro dia por ali chegou um cabra com cara de poucos amigos,sentou numa mesa bem afastada,pediu uma bebida e ficou em silêncio. Vi que estava armado. Minhas pernas faziam um barulho estranho, eram meus joelhos batendo um no outro.
Logo em seguida chega um bebum meio velho, pede uma cachaça, olha em volta e dá de cara com o estranho que bebia na mesa, do nada lascou o grito: - Sua mãe é muito gostosa, uma gata...Todo mundo ficou esperando a reação. Um silêncio sepulcral,se caísse um fio de cabelo no chão,ia ser um barulho da peste.
O cara então se levantou lentamente e caminhou em direção ao bebum, sentia-se o cheiro da morte no ar. Muita gente correu pro banheiro, pois a comida aliada com o medo provoca essas coisas. Andou até o bebum encarou ele de frente e disse:- Pô!!! Tú já está bêbado de novo! Vai pra casa ,pai!!”
É mole???

quarta-feira, 10 de agosto de 2016

GAMBIARRAS DE MONTÃO




Resolvemos experimentar algo novo, uma roleta russa, um dos pratos preparados por Al-Qaeda dentro daquele padrão internacional, se escapar coma de novo.
O Caixa Preta então resolveu me contar algumas novidades, estava uma arara, vi que problemas estavam para ser revelados.
Diz o Caixa que outro dia ficou sabendo da retirada do famoso lixão da 36, aquele bem ao lado do 4ºBatalhão. Soltaram fogos, tiraram mil fotos, abraços e todas aquelas firulas que antecedem a alguma coisa mal feita.
Tiraram o lixão na base do toque de caixa e esqueceram de fazer o arremate. Talvez de propósito, para daqui a algum tempo promover um outro auê ou um me engana que eu gosto. Futuramente com umas fotos melhores (pessoal, não esqueçam de não repetir a roupa!), outros ângulos e até com a presença sempre inútil de algum político e a horda de puxas sacos, sempre prontos a enaltecer essas verdadeiras “obras”.
Agora para fechar, tem um gaiato com uma serraria montada bem ao lado do grande pé de bambu, entre o Posto e o Batalhão, onde a serra come na madeira sem dó nem piedade, grande parte do lixo ainda está lá. Será que quem realizou a retirada não podia levantar a cabeça e olhar para o lado? Quem sabe essa não é outra futura nota de jornal? Vamos observar.

domingo, 7 de agosto de 2016

PARECE BRINCADEIRA




Em se tratando de Guará, vamos falar de algo que não é novidade (principalmente quando se trata de obras mirabolantes) dessas criadas apenas para jogar dinheiro fora, como exemplo, temos essa reforma nesse monstrengo que teimam em chamar de Estádio,é uma festa.
Quando falo nisso podem pensar até que eu estou de marcação com algo ou alguém, mas quem quiser pode tirar a dúvida, basta prestar atenção nessas trocas de meio fios. A coisa é de deixar muita gente boa de cabelo em pé. Custa-se acreditar que alguém sério esteja executando tal serviço.
Resolvi dar uma volta por onde essa estranha gambiarra foi executada, me recuso a chamar isso de obra, pra isso os “mãos macias” de plantão estão a disposição.
Eu custo a crer que darão a tal obra por terminada sem corrigir erros e distorções, parece um quebra cabeças! Acreditem que até aquele providencial rebaixamento de meios fios foi feito em determinadas garagens para propiciar mais conforto para alguns, mesmo sabendo que o acesso pela orla não é permitido pelo Plano Urbanístico, isso sem contar com as inúmeras lacunas que foram deixadas. Talvez de propósito para provocar um gasto com revisão futuramente, inclusive com algumas bocas de lobo, só vendo...tão lindo de ver que até me arrancou suspiros.
Administração, vamos acompanhar esse show de gambiarra que acontece no Guará, será que é apenas para tirar fotos , ser elogiado e já contar como obra concluída?

terça-feira, 2 de agosto de 2016

HAJA FESTA




Parece que no Guará vai ser São João o ano inteiro,é festa junina, julina, agostina, setembrina... parece que forró invadirá as festas de fim de ano . Natal e Ano Novo que se cuidem, em vez de Jingle Bells ouviremos” Pula Fogueira, que cá pra nós é bem mais alegre”.
O Caixa Preta disse que não aguenta mais o ronco do fole, está na hora de acordar pois as quadrilhas não param, principalmente no Planalto Central, onde dançamos na mão dessas quadrilhas o ano inteiro. Haja festa!
Deixando as festas de lado vamos às mazelas nossas de cada dia. Parecem estão aumentando de forma assustadora, basta dar uma volta ali na QE-40, do jeito que vai a Administração vai ter que pedir a retirada da rede ferroviária para não atrapalhar as invasões, e ainda tem maluco querendo regularizar uma bagunça daquelas, só pode ser muito sem noção. Como sofre o nosso Guará.
Um morador lá do Guará Park está na bronca pois as passagens para o lado de lá estão todas sendo bloqueadas pelos felizes invasores. Quem quiser pode “arrudiar” como falam por aqui, a coisa está cada dia pior por aquelas bandas.
Está começando a incomodar a falta de ação dos responsáveis pela fiscalização e repressão a esses abusos, que por aqui se tornam rotineiros e causam uma certa estranheza aos contribuintes, dando a impressão clara que cumprir leis por aqui não fazem o menor sentido.
O Guará não merece tanto descaso!