sábado, 18 de fevereiro de 2017

ARTISTA DE RUA

Depois que a chilena foi detida porque cantava em uma estação do metrô, resolvi assistir ao vídeo gravado por um transeunte para ver qual a terrível transgressão praticada pela mesma além de cantar fora dos vagões, para tentar descolar algum trocado.


Fiquei perplexo em ver a forma com que a moça foi retirada do local pelos seguranças, que, sem o mínimo tato, simplesmente imobilizaram e algemaram, inclusive com um deles fazendo pressão contra as costas da artista de rua, que permanecia deitada, o que poderia ter criado um problema ainda maior.
Eu não sou muito fã de artistas de rua, pois na maioria das vezes não se vê realmente arte no que tentam apresentar, mas acho interessante e em nada me perturbam.
Agora o que me tira do sério realmente são as apresentações performáticas dentro dos vagões, onde até hoje não vi um movimento sequer da segurança ou mesmo da administração do metrô para coibir tais abusos. Como usuário do metrô me sinto deveras incomodado com aquele monte de ambulantes, mensageiros, pregadores que nos enchem o saco diariamente, essas coisas que tiram as vezes o nosso sossego.
Digo isso porque muitos aproveitam para ler alguma coisa ou simplesmente descansar depois de um dia de trabalho, onde muitas vezes esse tipo de manifestação, não são muito bem vindas, apesar da admiração de alguns.
Parece que esse tipo de manifestação já faz parte de muitos metrôs nos diversos cantos do mundo, são aceitas tranquilamente sem que tragam qualquer tipo de prejuízo para os usuários dos mesmos.
Parece que o próprio diretor do metrô quer se desculpar pela atitude grosseira e inamistosa dos seguranças, o que faz muito bem. Espero que não vejam na atitude do diretor um “passaporte para o pode tudo”.

Parabéns ao Diretor – Presidente pela atitude.

Nenhum comentário:

Postar um comentário