quinta-feira, 11 de maio de 2017

MEIA VOLTA...VOLVER !

De tanto ouvir o povo falar em volta dos militares ao poder, começo a me questionar e chego a lembrar do Renato Russo, que morreu perguntando “Que país é esse”?


Confesso que passado tanto tempo não consigo obter a resposta, parece que todos nós
vivemos um atraso mental sem precedentes, gerações que nos bancos escolares não conseguiram aprender o que foi esse período na vida de muitas famílias e do próprio povo, que sem liberdades individuais, acreditava apenas no que lhe era colocado na frente pela opressão reinante por aqui.
Era estudante na época, tudo era proibido, desde música até deixar a barba crescer, tudo era motivo mais que suficiente para ser perseguido ou investigado. Reunir-se em grupos de mais de quatro pessoas para conversar ou mesmo se divertir, isso era considerado conspiração contra o tal regime.
Militares nunca foram santos, nem aqui ou em qualquer outro lugar do mundo, como hoje alguns idiotas querem fazer crer, pois com armas em punho apoiado por atos inconcebíveis nos dias de hoje, é muito fácil manter a dominação.
E o pior disso tudo é que durante o passar dos anos, a turma aboletada no poder, passou a gostar de mandar e desmandar, aprontaram tudo que tinham “direito”,se é que tinham algum direito de subjugar uma nação daquela forma.
Hoje com pesar vejo alguns idolatrarem essa turma que nem saudade deixou, pelo menos para mim e alguns que conheceram muito bem as manobras dessa turma.

Viva a liberdade, pois a pior democracia é melhor do que qualquer ditadura.

5 comentários:

  1. É isso aí, Gurgel. Por que os fanáticos dos militares (que creio não querem voltar ao poder explicitamente, ainda baix esta bagaceira que está aí - até porque, detentores das armas e das estratégias de guerra e dos obedientes soldados nos quartéis estão sempre, de fato, no poder) escondem as brigas entre os coronéis e generais? As brigas resultaram até na morte de Castelo e Costa e Silva... E quem fez as coisas ditas boas (obras físicas, tipo Ponte Rio-Niterói do tempo da Ditadura) foram as construtoras corruptas de sempre, que nasceram naquela época - e aumentaram demais a dívida externa... E só o fato de terem cassado JK e tirarem, pelo medo da tortura e da prisão, toda uma geração de patriotas da política, que seriam os bons políticos de agora, cujo vácuo foi ocupado pelos tão e tantos safados de agora, é o bastante para dizer: Ditadura nunca mais!

    ResponderExcluir
  2. As vezes leio certas abobrinhas e fico me perguntando, porque que todo revoltadinho da época entre 1964 e 1985 são pessoas que se julgam inteligentes mas não aceitam o fracasso do regime atual e ficam tentando colocar a culpa nos militares que só fizeram o devido papel de colocar ordem em um país, que salvo melhores interpretações, hoje seriamos um pais similar a Cuba ou a atual Venezuela?
    Aos intelectos antigos, sugiro aprenderem a quebrar ovos, pois só assim aprenderemos juntos a fazer uma bela omelete.
    Hoje somos um país semi-democrático, assim é minha visão, se quisermos chegar a democracia plena teremos que aprender bastante.

    ResponderExcluir
  3. Vivi nessa época no RJ, estudei, me diverti, trabalhei e nunca fui incomodado. Meus país e avós não foram presos perseguidos ou molestados. Saíamos nas ruas com segurança e sem esses "medos" ao qual o autor cita. Andávamos de ônibus ou barcas sem vale transporte, ticket refeição ou qualquer assistencialismo. O custo de vida era exequível mesmo para um operário. Hoje em plena democracia me sinto muito mais inseguro, muito mais restrito, muito mais sem liberdade. Será que vivia no mesmo país do autor da matéria acima !?

    ResponderExcluir
  4. O fato de você ter um discurso histórico que critique o regime militar dando ênfase ao que você entende como cassação às liberdades, não o torna como único verdadeiro e nem que a população tenha necessidade de aprendê-lo. Você tem apenas um discurso histórico, mas não é o único. Isso não impede que haja outro discurso histórico dando ênfase ao combate ao terrorismo financiado por Cuba em solo brasileiro, e ao sucesso que nosso país teve em não se tornar uma ditadura socialista em plena guerra fria.

    Passado não se confunde com História, a História é apenas produto do conhecimento humano, uma narrativa parcial sobre o passado que pode variar de acordo com a intenção do autor. Então não venha com esses discursos tendenciosos como se fossem verdades absolutas, eles não são, e nem a História dá esse aval ao historiador.

    ResponderExcluir
  5. Vivia e estudava na cidade mais militarizada do Brasil e nunca, eu ou meus colegas , tivemos problemas com militares..!! Somente marginais tinham..!!

    ResponderExcluir