terça-feira, 6 de junho de 2017

DE VOLTA AO INFERNO

De vez em quando me deparo com algumas coisas na Web que considero verdadeiros absurdos. Estava lendo a respeito das delações do pessoal da JBS. Eles citam valores, citam partidos e, alguns casos, o nome de alguns políticos. Até aí tudo bem.


Quem não lembra do “caso Pedrinho”? Desde o nascimento, o menino foi alvo de uma verdadeira avalanche de infortúnios, que começou com o seu rapto de um hospital com poucas horas de nascido, deixando a família sem rumo, com um sofrimento que não se tem como mensurar.
Pois bem, depois de tudo resolvido, a criança cresceu, estudou e hoje um cidadão formado, talvez já com filhos, enfim, tocou a sua vida como todo mundo, usufruindo dos seus direitos de cidadão.
Arranjou um emprego em um escritório de advogacia, que tem entre seus clientes um envolvido nas bandalheiras que hoje povoam os noticiários e as redes sociais.
Agora querer associar a coisa(o trabalho) a algo terrível, como se o cidadão apresentasse algum desvio de conduta, apenas por trabalhar no escritório onde o caso é defendido. É uma asneira e maldade sem tamanho.

Vamos respeitar a vida privada das pessoas, não vamos transformar a vida de quem trabalha em um inferno maior do que ele tenta sair desde que nasceu.

3 comentários:

  1. Parabéns meu amigo.
    Nem todo mundo consegue ter discernimento sobre o assunto. Boa, muito boa sua análise.

    ResponderExcluir
  2. Perfeito! quanto discernimento...

    ResponderExcluir