quarta-feira, 6 de setembro de 2017

PRESENTES CANINOS



Com o Caixa Preta não tem conversa, quando não gosta reclama logo, não deixa nada passar em branco. Quando me encontro com ele, sei que vou ouvir casos que costumam acontecer por aqui, sempre me diverte muito, passo para minhas crônicas imediatamente
pois são fatos divertidos, desses que acabam com o mau humor de qualquer um, basta conversar com os leitores da coluna.
Para minha surpresa, ele resolveu falar dos cachorros e seus donos que passeiam pelas quadras do nosso Guará. Muitos deles deixam a marca de suas passagens estampadas aos montes em calçadas e gramados, onde brincam crianças ou trafegam outras pessoas.
Tudo isso que vai desde o minúsculo Chihuahua até o imenso São Bernardo, todos eles para encher o saco e dar vexames no calçadão.
Sei que muitos leitores ficarão meio indignados com essas histórias achando que o velho Caixa tem algo contra o melhor amigo do homem, mas muita calma, ele até gosta, mas não suporta a falta de educação dos donos que teimam em levar seus amados totós para passear sem os devidos cuidados com a limpeza.
O Guerrilheiro do Cerrado acha que cachorro em certos lugares perturba e muito, como em elevadores, por exemplo. Vocês imaginam como é chato um Bulldog, com aquela cara de senador contrariado, olhando pra gente naquele espaço restrito e rosnando?

Acha até que deviam proibir duas coisas em elevador: Mexicano e Bulldog, o primeiro por causa do chapéu, o segundo por causa da cara...nada contra os cachorros.

Um comentário:

  1. Já ouvi falar que na França cães tem lugar cativo em restaurantes e lugares, ditos nobres, será que acontece alguma coisa similar?

    ResponderExcluir